NASF – AB Morro do Chapéu compartilha experiências em Piritiba

          A Equipe I do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB), de Morro do Chapéu, participou na última terça-feira, 13 de agosto, de um encontro com a equipe NASF – AB do município de Piritiba.

          De acordo com Nadja Mascarenhas, Psicóloga e Coordenadora da Equipe I NASF – AB, o grupo de Morro do Chapéu foi muito bem recepcionado pelos profissionais de Piritiba. “Este primeiro contato logo no início proporcionou uma maior integração entre nós, o que facilitou as nossas trocas de experiências. E foi justamente esse o objetivo do encontro: o compartilhamento de experiências profissionais”, explica Nadja.

          Durante todo o dia vários assuntos foram discutidos tendo como eixo principal a integração e consolidação da importância do fortalecimento entre profissionais que atuam no Programa. “O momento foi bem enriquecedor porque discutimos sobre formação de grupos, projeto terapêutico singular, sala de espera, clínica ampliada, atendimento individual compartilhado e específico, dentre outros”, relata Nadja. Ela afirma ainda, que, todos esses assuntos são exemplificações das execuções práticas das equipes.

          Ainda compondo a Equipe I, participaram do encontro, Júlia Aquino, Educadora Física; Camila Costa, Nutricionista, e, Jully Soares, Fonoaudióloga. Também se fizeram presentes Enfermeiros, Médicos, Odontólogos, Agentes Comunitários de Saúde das Unidades, representantes do CRAS e CREAS e profissionais da área de educação.

O Programa:

          O Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) foi criado pelo Ministério da Saúde em 2008 com o objetivo de apoiar a consolidação da Atenção Básica no Brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços, assim como a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações.

          Esta atuação integrada permite realizar discussões de casos clínicos, possibilita o atendimento compartilhado entre profissionais, tanto na Unidade de Saúde, como nas visitas domiciliares; permite a construção conjunta de projetos terapêuticos de forma que amplia e qualifica as intervenções no território e na saúde de grupos populacionais. Essas ações de saúde também podem ser intersetoriais, com foco prioritário nas ações de prevenção e promoção da saúde.

 

Fotos enviadas pela equipe NASF – AB 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *